Zahar

Blog da editora

Livros para entender o regime militar no Brasil

31 de Março de 2016

O último dia de março de 1964 deu início ao capítulo mais violento da história recente do Brasil. O Golpe Militar foi apoiado em um primeiro momento por setores da sociedade civil, e durou 21 anos. Diversos autores buscaram entender esse momento político para mostrar a sua influência na sociedade brasileira e, sobretudo, fazer um registro histórico da importância da democracia na construção de um país.

O período de instabilidade política que culminou no golpe se iniciou com a renúncia de Jânio Quadros e a posse do vice-presidente João Goulart. O clima turbulento desse período foi retratado com perspicácia e humor pelas caricaturas publicadas nos jornais. Jango e o golpe de 1964 na caricatura faz uma análise atenta de mais de 130 caricaturas sobre João Goulart publicadas nos jornais entre 1961 e 1964.

    

Em Ditadura e democracia no Brasil, o historiador Daniel Aarão Reis abordou o tema no aniversário de 50 anos do golpe, na tentativa de compreender as bases e os fundamentos históricos da ditadura, e as relações que se estabeleceram entre ela e a sociedade, tendo como contraponto o papel das esquerdas durante o período.

Um balanço essencial do conhecimento produzido sobre o período da ditadura militar, A ditadura que mudou o Brasil é uma coletânea de artigos organizada e escrita pelos pesquisadores mais renomados do tema. O objetivo do livro é entender as origens do regime, sua evolução, e a herança deixada para a sociedade: relações sociais autoritárias, censura indiscriminada, aparato repressivo opressor, fragilidade da cidadania, aprofundamento de desigualdades e injustiças sociais.

O olhar da historiadora francesa Maud Chirio revela um ponto de vista original sobre o regime militar ao se focar na vida política dentro das Forças Armadas durante o período. A política nos quartéis se utiliza de extensa bibliografia e entrevistas inéditas para traçar um panorama inovador sobre o contexto que propiciou manifestos, pressões, revoltas e até atentados promovidos por oficiais de patentes média, e que influíram diretamente sobre as escolhas políticas, econômicas e políticas da ditadura militar.

 

Um dos vencedores do Prêmio Jabuti 2015 na categoria Ciências Humanas, As universidades e o regime militar, do historiador Rodrigo Patto Sá, explora como o regime atuava nas instituições de formação de nível superior, e como as reformas operadas pela ditadura ainda persistem na estrutura das universidades públicas do país. Além disso, Sá usa vasta pesquisa para mostrar como os paradoxos e ambiguidades do regime militar se manifestaram plenamente no ambiente universitário, revelando a complexidade da experiência autoritária.

 

 
Categorias: Notícias