Zahar

Blog da editora

Homenagem a André Telles

15 de Outubro de 2018

Perdemos, no último dia 12, um amigo e colaborador insubstituível: André Telles.

Aprendiz e mestre, grande leitor, amigo de todos, André é de imensa importância em todos os sentidos. Temos muita alegria e muito orgulho por tantos momentos de trabalho e prazer ao longo de mais de trinta anos de parceria. Quem conheceu e conviveu com ele sabe o quanto isso foi um privilégio.

André dedicou a vida aos livros. Começou como livreiro na saudosa Taurus, nos anos 80, onde também iniciou o trabalho como tradutor. Na Zahar, fez de tudo – revisor, preparador, editor, tradutor, inspirador –, tendo sido um dos responsáveis pela edição das obras de Lacan e do Dicionário Grove de Música.

A partir de 2000, voltou-se quase que exclusivamente à tradução, sempre do francês e para diversas editoras. Só para a Zahar foram mais de cem títulos – cinema, história, música, psicanálise, quadrinhos, infantojuvenis e os imbatíveis clássicos da literatura francesa. Com Rodrigo Lacerda, escritor e tradutor, recebeu o Prêmio Jabuti pelas traduções de O conde de Monte Cristo e Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas, ambos publicados na coleção Clássicos Zahar.

Traduziu também outros clássicos como Verne, Proust e Simenon; romancistas contemporâneos como Emmanuel Carrère, Jonathan Littell e Michel Houellebeq; além de importantes nomes da psicanálise e da filosofia como Lacan, Roudinesco, Badiou e Derrida. Colaborou regularmente com a revista serrote (IMS), e dentre suas traduções mais recentes estão as grandes biografias de Freud (Roudinesco) e de Lévi-Strauss (Loyer) e duas novas obras de favoritos seus: Simenon e Carrère.

Por tudo isso, vamos celebrar nosso querido parceiro com um evento em sua homenagem no dia 8 de novembro, às 19h, na Livraria da Travessa de Ipanema. Escritores, tradutores e editores amigos lerão trechos de suas traduções e, além disso, ouviremos algumas de suas canções.

Estão todos convidados.

Foto:  Isabela Santiago

Categorias:

Comentários

Adriana de Godoy

Que perda irreparável!!!
Deixo aqui minha homenagem de simples leitora apaixonada por suas traduções!

21 de Outubro de 2018

Comentar