Zahar

Blog da editora

Entrevista exclusiva: John J. Mearsheimer, autor de "Por que os líderes mentem"

01 de Março de 2012
Por que você decidiu estudar a fundo a mentira dos políticos?
Eu recebi uma ligação de um jornalista no início de 2003 me perguntando o que eu sabia sobre a mentira na política internacional. Eu disse a ele que nunca tinha pensado sobre o assunto e que não conhecia nenhum bom artigo ou livro sobre o tema. Depois que falamos, me dei conta de que esse era um tema importante sobre o qual há coisas interessantes a serem ditas. Então, decidi escrever sobre o que eu chamo de mentira internacional.

Apesar de ter estudado a política americana também, você acredita que políticos mentem menos do que acredita o senso comum?
Eu fiquei surpreso quando fiz a pesquisa ao descobrir que líderes e diplomatas não mentem frequentemente uns para os outros. Achei que ia encontrar uma abundância de exemplos desse tipo de mentira, mas não havia. Descobri que os líderes mentem mais frequentemente para o seu próprio povo, mas mesmo assim continua não sendo um bom negócio esse tipo de mentira também.

Você acredita que o governo Obama aprendeu com os erros do governo Bush?
A administração de Obama aprendeu muito observando a administração de Bush, a forma de lidar com a política externa americana, especialmente no primeiro período Bush (2001-2005). Mas o problema que Obama enfrentou quando assumiu o cargo foi que não existiam boas soluções para os grandes problemas que herdou de Bush. Então, a política externa nos anos Obama teve poucos sucessos e inúmeras falhas.

Acredita que suas conclusões também se aplicam à política brasileira?
Meu argumento é que os líderes às vezes mentem sobre questões de política externa, porque acham que é do interesse nacional do seu país, não porque eles são corruptos. Dessa forma, meu argumento se aplica a todos os países. Portanto, eu espero ver líderes brasileiros, assim como líderes norte-americanos, contando mentiras ocasionalmente sobre questões de política externa. Mas também aponto que há um perigo real quando os líderes mentem – mesmo quando é por causa de boas estratégias – e que essa atitude pode promover uma cultura da desonestidade em seu próprio país, o que pode ter consequências desastrosas.
Categorias: Entrevistas