Zahar

Blog da editora

Dia Nacional da Consciência Negra

20 de Novembro de 2018

Para homenagear o Dia Nacional da Consciência Negra, selecionamos sugestões de leitura que podem contribuir para a reflexão do tema.  São livros que falam de personagens importantes na luta pela liberdade e defesa dos direitos igualitários ou que podem ajudar a pensar  uma sociedade mais justa e sem preconceitos. Obras que abordam a exploração das riquezas e da mão de obra do continente africano ao longo dos séculos, passando pela resistência do povo negro no Brasil, nos Estados Unidos e na África do Sul.

"A verdade é que ainda não somos livres; alcançamos apenas a liberdade de sermos livres, o direito de não sermos oprimidos. Demos o passo final de nossa jornada, mas o primeiro numa estrada mais longa e ainda mais difícil. Pois ser livre não é apenas se desvencilhar dos grilhões, mas viver de uma maneira que respeite e fortaleça a liberdade dos outros"

Trecho de A cor da liberdade, de Nelson Mandela e Mandla Langa

 

O destino da África

A África tem sido cobiçada por suas riquezas desde sempre. Nos séculos passados, ouro, marfim e tráfico de escravos atraíram caçadores de fortunas, mercadores e conquistadores de todos os lugares. Nos tempos modernos, o foco passou a ser o petróleo, ao lado de diamantes e outros minerais valiosos. Nesse livro, o historiador inglês Martin Meredith percorre 5 mil anos de história para mergulhar no destino do continente africano - um destino construído em cima de riquezas incontáveis, ganância voraz e poder.

 

 A cor da liberdade: os anos de presidência

 

Relato de seus anos na presidência, A cor da liberdade tem como espinha dorsal as memórias que Mandela começou a escrever quando se preparou para deixar o cargo, mas não teve condições de terminar. Coube ao premiado escritor sul-africano Mandla Langa a responsabilidade de completar a tarefa. Usando o rascunho inacabado e as notas detalhadas que Mandela fez ao longo dos anos - além de um rico material de arquivo inédito -, Langa realizou um trabalho admirável.

 

Autobiografia de Martin Luther King

Símbolo da luta por igualdade e líder de uma revolução que ecoa até hoje, 50 anos depois do seu assassinato, Martin Luther King é uma referência e uma inspiração quando se fala da resistência através da não violência. Em A autobiografia de Martin Luther King, vemos essa figura descrita por ele mesmo, com base em arquivo inédito de textos autobiográficos, incluindo cartas e diários não publicados, assim como filmes e gravações. Organizado pelo historiador, e diretor do Martin Luther King Jr. Research and Education Institute, Clayborne Carson, o livro cria um inesquecível retrato em primeira pessoa do grande líder.


As palavras de Martin Luther King

 

Martin Luther King liderou uma revolução que mudou para sempre os Estados Unidos e se estendeu por todo o mundo. Tornou-se símbolo da luta pela igualdade e pela paz. As palavras de Martin Luther King  reúne os trechos mais marcantes de seus discursos, sermões e livros, divididos em temas como racismo, paz, fé e religião, justiça e liberdade.

 

Palmares ontem e hoje

Palmares, ontem e hoje retoma a história do quilombo, e fala sobre sua estrutura mostrando que, desde a época do quilombo, são os interesses e angústias do presente que determinam as leituras dessa experiência social ainda marcante no imaginário dos brasileiros.


Le freak

Le Freak conta a fantástica epopeia do garoto negro, magricelo e asmático nascido no gueto – Nile Rodgers. Criado pela mãe adolescente, o padastro judeu viciado em heroína e as avós, ele conviveu com todo tipo de gente, de músicos de jazz a assassinos psicopatas. E aprendeu com eles sobre amor, perdas, moda, arte, música e o poder subversivo da cultura underground.

 

Chiquinha Gonzaga

Essencial para a formação da música popular brasileira, Chiquinha Gonzaga era filha de um importante militar com uma negra alforriada. Chiquinha foi a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil, e sua música e estilo de vida livre foram considerados escandalosos. A biografia Chiquinha Gonzaga, de Edinha Diniz, conta a história dessa mulher que redefiniu a música brasileira. O livro está disponível em formato digital.

 

Jimi Hendrix por ele mesmo

Lenda do rock’n’roll e até hoje aclamado como um dos maiores guitarristas de todos os tempos, Jimi Hendrix foi um dos grandes expoentes da cultura dos anos 1960. Jimi Hendrix por ele mesmo reúne entrevistas, escritos, letras, poemas, diários e até raps improvisados no palco, organizados de modo em que o próprio artista conta a sua história.

 

Para os pequenos:

Mandela

A brutalidade da segregação racial e de outras formas de preconceito são assuntos delicados, mas que precisam, inevitavelmente, ser abordados junto às crianças. Mandela, o africano de todas as cores fala sobre a resistência de Nelson Mandela contra a política do apartheid na África do Sul. O texto emocionante de Alain Serres e as ilustrações brilhantes de Zaü apresentam de um jeito único essa história inspiradora.

 

Martin e Rosa

Com um texto cativante e belamente ilustrado, Martin e Rosa narra a história de Rosa Parks, que desafia a segregação que os negros sofrem no sul dos Estados Unidos em meados dos anos 1950; e também a história de Martin Luther King que, pregando a não violência, expande o protesto pela igualdade. O livro conta ainda com a seção "Para compreender melhor", em que o leitor encontrará material de pesquisa que inclui: textos, fotos, documentos e um mapa sobre a vida de Martin Luther King e Rosa Parks e a luta pelos direitos civis.

 

Não derrame o leite

Uma história colorida e cheia de representatividade, o livro conta a história de Penda, uma menina que precisa atravessar as dunas africanas para entregar ao seu pai uma tigela de leite. Com textos ritmados, ênfase na repetição de palavras-chave e cores vibrantes, a história desperta valores como autonomia e senso de responsabilidade.

 

O Diário de Pilar na África

Nesse volume da série escrita por Flavia Lins e Silva, Pilar, seu amigo Breno e o gato Samba vão parar na África, e conhecem Fummi, uma princesa iorubá. O livro é uma ótima sugestão para ensinar mais sobre cultura africana, a escravidão, e a importância dos negros na formação da sociedade brasileira. A edição conta também com boxes informativos e cheios de curiosidades.

 

 

Categorias: