Zahar

R$ 54,90
R$ 37,90

Ficha Técnica

Lançamento: 3/9/2015
Assunto: Política
264 páginas
16x23cm
1ª edição
ISBN 9788537814680
Código: Z1876

Problema no paraíso

Do fim da história ao fim do capitalismo
                
Assunto: Política

Uma análise imperdível feita por um dos mais combativos e indispensáveis pensadores da atualidade

As coisas não vão bem no paraíso capitalista global. Mas, apesar de vivermos em crise permanente, parece que ainda aceitamos a ideia de que o capitalismo representa o melhor de todos os mundos possíveis. Essa é a premissa inicial de Slavoj Zizek em Problema no paraíso.

Zizek argumenta que, alternativas como maior igualdade, democracia e solidariedade são consideradas ultrapassadas e fantasiosas - ou, pior, nos levariam a uma sociedade cinzenta e supercontrolada. E diz que se queremos realmente imaginar um caminho melhor, precisamos entender que é exatamente o capitalismo que nos oferece o mais sombrio dos futuros - servindo sempre mais do mesmo sob o disfarce de mudança constante.

Mergulhando em fenômenos tão diversos quanto o Gangnam Style, Marx, O Cavaleiro das Trevas, Lacan, Ernst Lubitsch e Margaret Thatcher, Zizek adverte que é preciso exigir mudanças radicais e explorar as possibilidades de novas batalhas emancipatórias. Nossos heróis de agora, explica ele, devem ser Julian Assange, Chelsea Manning e Edward Snowden - a menos que desejemos viver num mundo cheio de zumbis e vampiros.

***

"Ver Zizek em pleno voo é uma experiência maravilhosa e por vezes inquietante, em parte uma caminhada filosófica na corda bamba, em parte uma maratona de arte performática, em parte uma viagem numa montanha-russa intelectual." The Observer

"O mais formidável e brilhante expoente da psicanálise - na verdade, da teoria cultural em geral - a ter aparecido em muitas décadas." Terry Eagleton

"O filósofo mais perigoso do Ocidente." The New Republic

"Poucos pensadores ilustram melhor as contradições do capitalismo contemporâneo do que Slavoj Zizek [...] um dos mais conhecidos intelectuais públicos de nosso mundo." John Gray, The New York Review of Books

Compartilhe

Comentar